Doutor Esportista

Mitos e verdades sobre superpoderes” no Jiu-Jitsu

Confira meu artigo publicado na Gracie Magazine, renomada revista brasileira especializada no mundo do Jiu-Jitsu.

Mitos e verdades sobre “superpoderes” no Jiu-Jitsu

Todo mundo conhece um colega de academia ou algum expoente nos campeonatos que aparenta ter “gás infinito” nos combates. Aquele sujeito que nunca cansa, tampouco se lesiona, vai em todos os treinos e ainda faz outros exercícios por fora, sete dias da semana, e depois de um campeonato está novinho em folha. Quase um superman, não é mesmo?

Muitos pacientes me perguntam: as pessoas nascem com esse “dom” ou adquirem durante a vida? Bem, existem sim pessoas que já nascem e que têm maior facilidade para adquirirem tais virtudes físicas, mas, como tudo na vida, se essas virtudes não forem aperfeiçoadas e muito bem treinadas, elas vão se acabar. A realidade é que muitos preferem acreditar que os grandes atletas e lutadores já nascem assim e pronto, tá resolvido. Não se engane, 90% correspondem a treinamentos eficientes.

O “efeito superman” se sustenta na tríade: descanso / alimentação / treinamento. Posso escrever um livro para falar disso, é uma questão muito ampla, mas vamos analisar esses tópicos rapidamente a seguir (em publicações futuras posso detalhar melhor cada um deles). O descanso se divide em três partes: o sono, o treinamento regenerativo e a meditação. Eu acredito que é nesta parte, a do descanso, que as pessoas mais erram. Normalmente elas acreditam que descansar significa não fazer nada. Vejo em muitas modalidades que as pessoas tiram um dia para o descanso. Na minha opinião a regeneração do corpo não vem em ficar parado de dia quando se está acordado. A verdadeira regeneração muscular é feita quando dormimos, e no mínimo 8 horas diárias. E ainda acho que, para atleta profissional, deveriam ser de 8 a 10 horas.

Outra forma de descanso seria o descanso ativo, ou seja, realizar no fim de semana ou nas férias exercícios em que a pessoa não costuma fazer diariamente. Por exemplo, no domingo, você, lutador, poderia nadar, andar de skate ou surfar (geralmente é o que eu faço). Outra maneira de regeneração é a meditação. Trabalhos recentes mostram que meditantes apresentam maior rapidez na regeneração de tecidos lesionados pelo corpo. Lembro que o treinamento é um fator estressante do corpo e essas estratégias são as melhores formas de regeneração.

Agora, em se tratando da alimentação, o erro mais comum no nosso esporte é ingerir menos energia do que o necessário. Um atleta de 80 quilos de massa corporal, em um treino intenso do nosso esporte, pode gastar mais de 800 kcal em uma hora, o que equivale a aproximadamente sete pães franceses ou 600 gr de arroz. Imagine, então, esse atleta treinando duas vezes no dia, cinco vezes por semana. Quantos colegas de treino você conhece que realmente comem de forma adequada e suficiente?

Além disso, é da alimentação, especialmente das proteínas, que vêm os “tijolos” que vão ser usados para “reconstruir” o nosso corpo depois do estresse que impomos a ele por meio do treinamento. Ou seja, se você não come o suficiente, sua recuperação fica prejudicada e, por consequência, o seu desempenho nos treinos e competições, também. Sugiro portanto procurar um nutricionista se realmente quiser ter um suporte adequado. Ah, álcool e esporte não combinam. Esqueça o álcool!

Além desses dois fatores, temos também o fator “treinamento”. Quando falamos de treino, não estamos falando só do que ocorre no tatame. Na nossa modalidade, o treinamento de força e de endurance, que é conhecido popularmente como “aeróbico”, também são muito importantes. É o treino de força que faz com que você consiga ter mais potência e força para aplicar as quedas, chaves e golpes no geral, e é o treinamento de endurance que faz com que você consiga ter mais gás no treino e se recuperar entre os rolas.

Há muitas formas de otimizar o sono, a alimentação e o treinamento e, como escrevi no início, no futuro farei outros textos, me aprofundando em cada um dos temas, ajudando você a elevar o nível do seu Jiu-Jitsu e colocando adamantium no seu esqueleto!

Não deixem de me seguir no meu perfil do Instagram @doutoresportista. E obrigado ao meu amigo @ericpascher por me ajudar neste texto. Oss!

*Gunter Sgarboza é médico ortopedista, especialista em cirurgia do joelho e traumatologia do esporte. Professor faixa-preta desde 2008, campeão do Master & Senior do Rio 2011, vice-campeão do Pan – Los Angeles 2008 absoluto.

Fonte: https://www.graciemag.com/2020/07/13/mitos-e-verdades-sobre-superpoderes-no-jiu-jitsu/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *